sexta-feira, 12 de junho de 2015

Chefe do ‘Revoltados Online’ provoca, mas não consegue esculhambar evento do PT

Ele adora tumultuar, se diz revoltado, vende camisetas pró-impeachment e fala que no Brasil não há democracia

Por Cristina Sena

O criador do Revoltados Online, Marcello Reis, se hospedou no hotel Pestana, onde acontece o 5º Congresso do PT, em Salvador (BA). “Vim encontrar o Lula, vai ser lindo”, provocou, em entrevista à “Folhapress”, na quinta-feira (11).

De acordo com o “Blog da Cidadania”, Reis e outros integrantes do Revoltados tentaram provocar os petistas que faziam um ato público do lado de fora do hotel, mas foram contidos pela polícia.

Mais tarde, por volta das 20h de ontem, houve um tumulto na frente do saguão do hotel, entre Reis e participantes do Congresso. Segundo testemunhas, o episódio foi curto e não atrapalhou a realização do evento, que conta com ampla participação dos partidários.


Oposição e Governo se unem para atrair hub da Latam a Pernambuco


Recife - O líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Silvio Costa Filho (PTB), participou nesta quinta-feira (11) de um evento realizado no Palácio do Campo das Princesas pela defesa da implantação do novo centro de vôos internacionais e nacionais que o grupo Latam (das empresas aéreas TAM e Lan) pretende trazer para o Brasil em 2016. O hub da Latam deve criar entre 8 mil e 12 mil empregos diretos e indiretos e está sendo disputado pelas cidades de Recife (PE), Fortaleza (CE) e Natal (RN).

Ao discursar no evento, que além dos deputados estaduais teve a presença de representantes da sociedade civil e ex-governadores do Estado, Costa Filho enfatizou a importância de Pernambuco mostrar união e força política em torno desse projeto e disse que a bancada de oposição dará as contribuições que forem necessárias.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

ENTREVISTA COM O PREFEITO AURICÉLIO - PARTE II (FINAL): "Dizer se sou ou não sou candidato, é precipitado"

Auricélio disse que algumas críticas dos vereadores são equivocadas: "eu acho que a gente ainda está bem"
Leia a seguir a segunda e última parte da entrevista exclusiva  com o prefeito de Cabrobó Auricélio Torres, publicada na edição impressa da Folha da Cidade.

Qual é o recado que o sr. dá aos concursados da Prefeitura de Cabrobó, que tanto reclamam nas redes sociais para serem convocados? Como é que está esta situação?

R- O mais importante para os concursados é convocar a todos. Mas é bom lembrar que eu convoquei mais de 70% desse pessoal logo no primeiro ano de governo. Primeiro, eu prorroguei a valia do concurso por mais dois anos, o que é muito importante. Agora, eu estou não é com recomendação, eu estou com uma determinação do Tribunal de Contas para demitir e não contratar ninguém. É determinação. Estou tentando protelar as demissões, ver ao máximo o que é que eu posso fazer. Queira ou não queira, quem está aí às vezes depende desse salário para sobreviver. Estou protelando, mas,  ao que tudo indica... Fui advertido quando ultrapassei os 55,5% e hoje recebi mais uma carta, porque cheguei aos 57, 76%. Então, o tribunal não está recomendando, está determinando demissões. Chega a quase 300 pessoas para que a gente possa enxugar a máquina. Eu acho isso muito grave, porque eu não tenho 300 funcionários ociosos. A gente pode pensar que tem aí uns 20 ou 30 que poderiam ser dispensados, mas essa quantidade toda vai fazer falta, o serviço público vai ficar deficiente. Então, tudo isso passa pela reforma política para que essas coisas possam mudar. Esses programas do governo federal e do governo do estado, por exemplo, a gente tem que empregar as pessoas para fazê-los funcionar. Uma creche tem que funcionar, uma abatedouro, o Creas, o Cras, tem que funcionar, os postos de saúde, etc. Para isso tem que haver vigilantes, auxiliar de serviços gerais, uma série de profissionais que a gente tem que contratar. Se não contratar, não funciona. E, se demitir, o serviço vai ficar a desejar para a população.

No início do seu governo o sr. teve ao seu lado uma aglutinação dos vereadores, logo após o racha com o ex-prefeito Eudes Caldas (PTB). A maioria ficou do seu lado mas, depois, um por um foram migrando para a nova oposição que se formava. Quem é que errou ou está errado nesta história toda? O prefeito ou os vereadores que saíram da base?

R- Digamos que o prefeito esteja errado, digamos que não seja um grande negociador político. Eu até faço esta autocrítica. Por outro lado, costumo dizer que Matemática é uma ciência exata, dois mais dois vai ser sempre quatro, diferente de outras ciências, né, que às vezes o subjetivo se enquadra, mas Matemática é isso, então, eu não vejo como colocar gente para trabalhar e não pagar. Comprar e não pagar. Para isso tem que ter o recurso. A prefeitura é uma empresa como outra qualquer, nela entra recurso e sai recurso. Não tem uma mágica, uma maquinazinha para a gente gerar dinheiro lá. Então, há as pessoas que lhe cercam e pensam sempre em atender os seus aliados (deles) com recurso do município.

O sr. está querendo dizer que os vereadores pedem demais?

R- É por aí. A verdade é essa, é por aí. Existe uma prática de querer atender todo mundo, só que a prefeitura não tem como atender todo mundo e o direcionamento da nossa administração, como falei no princípio, é trabalhar no coletivo, não com benefícios pontuais e pessoais. Mas tem gente que insiste em fazer isso, então fica difícil empregar onde não precisa, arranjar emprego para várias pessoas.

No tempo da ampla aliança o sr. foi mundo pressionado pelos vereadores de sua base?

R- Olhando o mapa político de Cabrobó dá para entender. No governo passado o prefeito tinha 60% dos vereadores na Câmara, já tinha quase a metade ali dividida. Nós entramos com 12 vereadores, isso é difícil de administrar. São 12 egos, isto é, 12 pessoas querendo atender seus aliados, seus eleitores, quando você tem que ajustar uma máquina, uma prefeitura, para poder, como falei antes, comprar e pagar, colocar pessoas para trabalhar e pagar seus salários, que devem ser sagrados, ter recursos para as contrapartidas, ter recursos para alavancar até a economia do município, ter recursos na saúde, na educação, entre outras coisas. Então, não sou um bom negociador, admito, assumo. Mas eu achava que os vereadores deveriam fazer política com espírito mais de estadista, de pensar também na cidade, no próprio município.

VÍDEO IMPERDÍVEL: CQC VAI ATRÁS DO HOMEM QUE HUMILHOU HAITIANO

COM OU SEM PAINÉIS? POLÊMICA ENTRE CATÓLICOS VAI PARAR NO BISPO

Católicos fizeram abaixo-assinado para impedir retirada dos painéis da igreja

Uma reforma na Igreja da Sagrada Família, no centro de Cabrobó, causou polêmica nas redes sociais, depois que o pároco de Cabrobó, Pe. Cleber Pereira, retirou as imagens de mosaico da sagrada família, localizados no alto da parede que fica atrás do altar.

Não demorou muito e vários católicos começaram a reclamar, se posicionando contra a retirada dos painéis.

A ex-diretora municipal de Cultura, Sônia Novaes, deixou o seguinte recado no seu perfil do Facebook: “Estou muito revoltada. O padre Cléber tirou os dois painéis da igreja da Sagrada Família. Não ouviu ninguém, nem o Conselho Paroquial. Ele pode ser o pároco, mas não é o dono. Vamos nos reunir para fazer um protesto”, reclamou, sendo apoiada por várias pessoas que também demonstraram indignação.

Outras reclamações se multiplicaram e logo foi criada uma petição on line, colhendo assinaturas para impedir a tal reforma.

Os filhos e a viúva do ex-padre de Cabrobó Pedro Knappe, que foi responsável pela construção da igreja na década de 60, também lamentaram a situação e, de Recife, interagiram  com outros internautas em defesa da preservação das imagens.


terça-feira, 9 de junho de 2015

ARMANDO MONTEIRO: "POLÍTICAS INDUSTRIAIS DEVEM TER UMA DIMENSÃO REGIONAL"

Ministro Armando Monteiro: "Dimensão regional terá que ser levada em conta"
Rio de Janeiro – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, defendeu a regionalização das políticas de desenvolvimento industrial do país ao participar, no Rio de Janeiro, de seminário organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com os jornais “Financial Times” e “Valor Econômico”, para debater o estudo inédito: “Perfil da Competitividade Brasileira”, que detalhou o perfil econômico de cada região.  “Este é um importante instrumento para o direcionamento dos investimentos públicos nas microrregiões que hoje se constituem em novas fronteiras de desenvolvimento produtivo”, declarou o ministro.

Segundo ele, existe hoje uma polarização que aponta a necessidade das políticas industriais, de inovação e de comércio exterior terem uma dimensão regional. “Algo que foi observado é que as microrregiões mais competitivas em termos de ensino superior e técnico eram também as mais competitivas no ensino fundamental. Isso porque há uma forte correlação entre os níveis básicos de educação e seus estratos superiores. Portanto, é preciso que haja um esforço dos três níveis de governo para superar esses obstáculos”, enfatizou.


CAMINHADA ABRE CAMPANHA CONTRA TRABALHO INFANTIL EM CABROBÓ

Foto ilustrativa  - Ao lado,  cartaz da campanha contra o trabalho infantil em Cabrobó

A secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania e os membros do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI , da Prefeitura de Cabrobó, estarão realizando no próximo dia 12 uma caminhada de conscientização contra o trabalho infantil.

O evento servirá como abertura da campanha municipal de  Erradicação do Trabalho Infantil na cidade e terá início às 07h30, partindo do CREAS, na avenida Presidente Castelo Branco.

Segundo  Meyrielly Suammy Silva Santos, gerente municipal do PETI, a campanha visa alertar a população cabroboense para a importância de denunciar situações de trabalho infantil contra crianças e adolescentes.


DEPUTADOS QUEREM SABER POR QUE A UPA DO ARRUDA AINDA NÃO FUNCIONA

Deputados visitaram canal do Arruda, na capital pernambucana

O líder da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado estadual Silvio Costa Filho (PTB), e a deputada estadual Socorro Pimentel (PSL), que é membro titular da Comissão de Saúde e Assistência Social da Alepe, visitaram na manhã desta terça-feira (09) duas obras que estão paralisadas no bairro do Arruda, Zona Norte do Recife, prejudicando a qualidade de vida da população.

Os parlamentares foram ver de perto a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que apesar de fisicamente concluída, está de portas fechadas por falta de profissionais da saúde e equipamentos. Eles também verificaram a paralisação das obras no Canal do Arruda, que terá impacto sobre a vida de mais de 80 mil pessoas da região.

A construção da UPA do bairro do Arruda se iniciou em julho de 2012, com previsão de entrega em janeiro de 2013. Até hoje, a unidade – que custou mais de R$ 5 milhões - não começou a funcionar.


ENTREVISTA COM O PREFEITO AURICÉLIO - PARTE I: "há pessoas que insistem em ir à prefeitura em busca de benefícios pessoais"

Prefeito respondeu várias perguntas à Folha da Cidade em entrevista exclusiva,  na edição 61

O prefeito de Cabrobó, Auricélio Torres (PSB), chega a mais da metade de seu mandato sem maioria na Câmara de Vereadores, numa situação de aperto financeiro nas contas da prefeitura. Nesta entrevista exclusiva à Folha da Cidade, ele responde às principais indagações sobre o presente e o futuro de seu governo, dá uma resposta aos ataques do ex-candidato Antônio de Nestor e avisa que será obrigado a cortar cerca de 300 empregos da prefeitura. o texto foi dividido em duas parte. Confira a primeira.

FOLHA DA CIDADE - No início do seu governo o sr. revelou que encontrou a prefeitura com uma dívida de R$ 3 milhões? Hoje, quase dois anos e meio depois, sua gestão já conseguiu equilibrar as finanças do município?

AURICÉLIO TORRES - Nós equilibramos as contas logo no primeiro semestre de 2013, quando o prefeito “se trancou” um pouco mais no gabinete. Nós enxergamos que aquele atendimento ao público, que iniciava às vezes às seis na manhã até as 11 da noite, estava improdutivo para fazer a equipe andar e ajustar as contas do município. Graças a Deus, com muito esforço, muito sacrifício e austeridade, nós saneamos as contas. Acho que em meados de maio já estávamos com as contas ajustadas. Foi quando começamos a iniciar as obras em Cabrobó.

Se as contas estão ajustadas, por que se fala tanto em crise e que não há recursos para investir no município?

R - Nós promovemos o ajuste das contas e implementamos uma série de ações em Cabrobó. Eu acho que a população é testemunha. São várias ruas pavimentadas, iniciamos a reforma da Ceasa com recursos próprios, as contrapartidas das obras foram inúmeras, as festas populares. Eu considero que nossas festas talvez tenham sido as melhores de Cabrobó. O São João 2013 foi uma festa de oito dias, o dia 11 de Setembro não foi diferente, com bandas que haviam prometido no passado e nunca tinham vindo, como foi por exemplo naquela época da (banda) Garota Safada, entre outras bandas. Também investimos no fardamento escolar da rede pública do município, contemplando aproximadamente 5.500 alunos, com duas camisas para cada um. Não é uma obra de pedra e cal, mas é muito importante. Promovemos obras de saneamento com recurso próprio, como na Vila do Gás, onde gastamos um montante importante de recurso. A obra da pavimentação asfáltica, por exemplo, acho que ninguém fez uma obra desse porte com recurso próprio em Cabrobó, uma obra de mais de R$ 1.200.000. Foram inúmeras as contrapartidas e promovemos tudo isso. Agora, o que é que está acontecendo de verdade? É um propósito nosso primeiro zelar pelo dinheiro público e sermos transparentes. A partir de setembro de 2014, começou a haver um declínio dos recursos provenientes do ISS referentes à obra da Transposição. Se você olhar 2014, eu somei o que entrou de janeiro a dezembro, dividi por 12 e tivemos uma média de R$ 550 mil de ISS, mas em setembro ele começou a cair para 300 e alguma coisa, e assim gradativamente. É tanto que em dezembro chegou a entrar R$ 13 mil e isso vem continuando em janeiro, fevereiro, março e agora em abril, com um valores de R$ 70 mil, R$ 100 mil, R$ 15 mil, de R$ 11 mil. Mas, temos a boa notícia de que a obra deve ser retomada, e temos ainda 14% a 16% de obras em nosso município. Então, teremos ainda talvez um ano com entrada desse ISS. Não sei se será igual ao início. Se a população observar, no início dessa obra a gente via aqui um verdadeiro formigueiro pela manhã com os trabalhadores fardados, e hoje são muito poucos. Hoje a obra está distante, não tem mais aquele volume do princípio. Eu diria que Cabrobó viveu anos dourados a partir de junho de 2008. A prefeitura e a cidade se acostumaram com estes recursos, houve um inchamento da máquina, então o que está havendo é isso. Tínhamos uma receita. 2014 não é nem parâmetro, eram R$ 550 mil por mês em média, mas no passado isso foi muito mais. Esses recursos caíram para cerca de R$ 100 mil reais por mês. Isso abala qualquer estrutura. Então, a crise que Cabrobó está vivendo, principalmente, por conta disso, some-se a uma prolongada estiagem, referenciada pelos estudiosos como a pior dos últimos 70 anos, quase a maior do século. A cada ano a seca maltrata paulatinamente, a cada ano vai se agravando devagar, maltratando o homem do campo e também o poder público. São muito mais máquinas, são mais rações que se tem que adquirir junto aos órgãos do governo do estado, tem que haver transporte, gasta-se muito combustível, entre outras coisas. O que vemos é isso.


VEREADORES INSTALAM CPI PARA INVESTIGAR TRIBUTOS EM CABROBÓ

Vereador Duda Caldas é o relator da CPI. "Há fortes indícios de caixa dois"

A Câmara Municipal de Cabrobó instalou no dia 26 de maio a CPI dos Tributos, com o objetivo de investigar possíveis irregularidades nas operações tributárias realizadas pela Prefeitura de Cabrobó.

A Comissão Parlamentar de Inquérito é formada pelos vereadores Zé Nilson Novaes/PP (presidente), Duda Caldas/PTB (relator), Paulo Gonçalves/PT e Barná Russo/PSD, todos da bancada de oposição.

A CPI foi proposta por Duda Caldas, que havia denunciado a cobrança indevidas de impostos no abatedouro público municipal. Segundo o parlamentar, não há qualquer tipo de controle e os pagamentos estariam sendo desviados.

“O dinheiro arrecadado não está entrando nos cofres do município. Temos que analisar minuciosamente essas cobranças”, relatou Duda.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

NOVA EDIÇÃO DA FOLHA DA CIDADE TRAZ ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PREFEITO DE CABROBÓ AURICÉLIO TORRES

A edição 61 da Folha da Cidade já está circulando em Cabrobó e tem como destaque uma entrevista exclusiva com o prefeito do município Auricélio Torres.

Ao responder aos questionamentos, o mandatário do executivo faz revelações inéditas sobre a sua administração, quais são os principais problemas de Cabrobó e o que ele está fazendo para enfrentá-los.

Auricélio, que é filiado ao PSB, também responde às críticas que vem sofrendo de seus adversários e desmente boatos sobre uma suposta "desistência" à disputa de 2016.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

TOQUEM AS TROMBETAS. DIRETOR DA GLOBO ANUNCIA O FIM DO BBB

Já deu, né Bial?

Quem deu a maravilhosa notícia foi o Portal Metrópole. Reportagem do site afirma que o diretor da dona-do-mundo Rede Globo de Televisão anunciou que o programa mais sem-noção-e-sem-futuro do mundo vai, finalmente, acabar.

Palmas. Ao texto:

Depois de 14 anos, finalmente os telespectadores do Brasil conseguem vislumbrar o fim do BBB (Big Brother Brasil).

Essa semana, Boninho, o diretor do maior reality show da Globo, anunciou o fim da atração para 2017.


Boninho não deu maiores esclarecimentos sobre o fim do BBB, porém, especula-se que o principal motivo seja a queda de audiência.



GOVERNO ESTADUAL TENTA ESCONDER NÚMEROS DO CRESCIMENTO DE ASSASSINATOS, DIZ OPOSIÇÃO



Entre janeiro e abril de 2015, Pernambuco alcançou a marca dos 1.304 assassinatos. São 180 mortes a mais do que o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) do mesmo período de 2014, quando foram contabilizadas 1.124 mortes, segundo dados da Secretaria de Defesa Social. Já em abril de 2015 foram 323 casos fatais, contrastando com as 296 mortes de 2014 (27 vítimas a mais).

Os números mostram claramente que os homicídios em Pernambuco estão crescendo, ao contrário da tentativa do Governo do Estado em iludir a opinião pública ao divulgar o resultado de abril de 2015 comparando apenas com o último mês de março. O Governo do Estado, que em período recente tinha tanto apreço a esse tipo de comparação estatística, esquece de expor essa realidade à população, divulgando para a imprensa apenas o que lhe é conveniente.

Em vez de tentar jogar com números, o governo deveria apresentar o que tem feito estruturalmente para reverter a tendência do aumento da violência em Pernambuco. Não apenas maquiando a estatística, mas indicando quais políticas públicas pretende adotar, por exemplo, para valorizar os profissionais da área de segurança, a exemplo dos policiais civis, policiais militares, delegados e agentes penitenciários.

terça-feira, 5 de maio de 2015

EM ENTREVISTA À FOLHA, ANTONIO DE NESTOR FAZ DURAS CRÍTICAS AO PREFEITO AURICÉLIO: "É UM FRACO, NÃO SABE ADMINISTRAR"

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Cabrobó, Antônio de Nestor, não economiza críticas ao prefeito de Cabrobó, Auricélio Torres (PSB), nesta entrevista exclusiva ao jornal Folha da Cidade
Há dez anos no comando de um sindicato que conta com cerca de dez mil filiados, Antônio tentou voos maiores em 2012, quando se candidatou a prefeito do município. Perdeu para uma aliança gigante que abrigava o ex-prefeito Eudes Caldas (PTB) e atual e vencedor Auricélio Torres. Antônio guardou em seu currículo a marca de 5.669 votos, que hoje o levam à condição de pré-candidato da oposição. Sobre 2016, ele não tem meia conversa e faz questão de demarcar terreno com a sua posição. Confira na entrevista.

FOLHA DA CIDADE - Como o sr. vê a situação do trabalhador rural hoje?
ANTONIO DE NESTOR - Estamos há cerca de 10 anos no sindicato e vejo a agricultura no nosso município cada vez pior. Muita coisa não desandou ainda devido ao trabalho que o sindicato vem fazendo, principalmente na área de sequeiro. A gente tem investido muito com os programas sociais da nossa grande presidenta Dilma, que tem continuando o trabalho do ex-presidente Lula, principalmente na construção de cisternas.

Quais são as maiores reivindicações do STR de Cabrobó? 
A principal seria um projeto de irrigação. A gente tem aí a questão do projeto Maria Preta que foi usado como mote político quando sabemos que nada foi feito. Temos também a questão da perfuração de poços, recuperação e construção de barragens, et. A gente solicita através de ofícios às entidades, como por exemplo o Dnocs. Iclusive estamos realizando a perfuração de quatro poços nas comunidades de assentamento Poço da Umburana, associação Quilombola da Santana, associação do Caderaozinho e associação do Catolé e Badajó.

Como é a relação do STR com o poder público municipal?
Não tem nenhum relacionamento.

Por quê?
Porque ele (o prefeito Auricélio) leva para a questão política, né. A gente tem muitos trabalhos que poderiam ser em parceria com a secretaria de Agricultura, mas não existe porque ele não participa, por questões políticas.

DITADURA NUNCA MAIS

Cena da ditadura militar no Brasil, reproduzida no cinema: Tragédia política

Como é lamentável e preocupante a disseminação do ódio político de pessoas, ditas “de bem” que chegam, inclusive a defender a volta do regime militar no Brasil, tanto nas redes sociais quanto nas manifestações que ocorreram no país nos dias 15 de março e 12 de abril.

O patético clamor de grupos pró-militarismo dá nó no estômago de qualquer ser humano que tenha o mínimo de conhecimento da  recente história política do país.